Criada há 19 anos na Áustria, a data busca ampliar o conhecimento geral sobre o uso consciente de energia. No Brasil, as últimas semanas foram marcadas por 3 mudanças que encarecem ainda mais a conta de luz ao consumidor final: (i) reajuste por indenização do governo com transmissoras, (ii) entrada da bandeira amarela em março e (iii) aumento da tarifa extra para a bandeira amarela.

Nesse contexto, o aquecimento solar de água segue como o investimento favorito para as empresas e residências que consomem água quente. Além de contribuir com o meio ambiente, a utilização de um sistema de aquecimento solar de água gera retorno financeiro através da economia pela não utilização de fontes que tem custo de geração (elétrico ou gás). Com os recentes aumentos e a perspectiva de encarecimento da tarifa nos próximos anos, o retorno financeiro gerado pelo aquecimento solar de água deve ficar ainda maior.

Vale citar que, a CPFL Energia, um dos maiores conglomerados de energia do país, citou, em seu comunicado do dia internacional de eficiência energética, o chuveiro elétrico como “primeira preocupação”, por ser o responsável por 25 a 35% dos gastos com energia de uma residência.